Laura Gutman, psicopedagoga argentina, autora do best seller "O Poder do Discurso Materno" abriu o "III Seminário Internacional: Mãe Também É Gente. Só cria filho feliz, uma mãe feliz". Para uma plateia cheia de mães, ela defendeu a importância da postura da mãe para uma vivência saudável em família. Segundo ela, o discurso materno é uma das peças mais importantes na criação dos filhos. Nós, mães, temos poderes que sequer imaginamos. Tudo que falamos e o modo que agimos diariamente podem influenciar diretamente nossos filhos em suas ações e decisões. 

Para Laura, que também é terapeuta familiar, é importante que nós, mães, nos reconectemos com as crianças que fomos um dia para vermos nossos filhos através de uma perspectiva melhor. A autora defende que experiências vividas na primeira infância podem deixar marcas desconhecidas por nós, que ditam naturalmente comportamentos inconscientes. Isso faz com que as mães tenham dificuldade em estabelecer um vínculo puro e saudável com seus filhos e adquiram outras dificuldades nos mais variados aspectos da vida.

"Vale a pena olhar para trás para entendermos o que aconteceu conosco e o que nos levou a sermos quem somos hoje", complementa ela. É preciso entender essa experiência, para além do nosso desenho original, para compreendermos mudanças inerentes a nós mesmos. "Nascemos todos iguais, bons e amorosos. Algo aconteceu no mundo para que encontrassemos a violência, as guerras e a delinquência".

 "Ter um filho é uma oportunidade para contatarmos um nível de realidade emocional que vai permitir nos conhecermos melhor", afirma Laura. No parto, abrimos uma porta, ou campo emocional, que transmite para o nosso filho todas nossas lembranças passadas, sejam elas boas ou ruins, de maneira inconsciente. Essa carga emocional é muito importante para o bebê, já que a mãe é a única garantia que a criança tem para que suas necessidades possam ser supridas, diz ela.

A psicopedagoga falou ainda da importância da família, como um conjunto, para criação dos filhos. "Nós não fomos criadas para dar conta de nossos filhos sozinhas. Crianças sempre foram criadas em tribos e comunidades". Antigamente, nossas mães eram reconhecidas por dar a luz e criar os filhos. "Hoje temos reconhecimento social se estamos trabalhando".

Assista a seguir a entrevista exclusiva que o blog Infanti fez com ela