Para os pais de primeira viagem, a chegada de um bebê em casa é um momento de emoção, mas também de apreensão. Num primeiro momento, você pode ficar intimidado e até deslocado diante daquele bebê tão depende da mãe e ligado a ela. O vínculo entre os dois parece tão especial... Pode confessar: que pai nunca ficou com ciúmes da relação do filho com a mãe?

É muito importante, para você e para o seu filho, que vocês criem laços emocionais desde cedo, mesmo que no início a vida dele se resuma a mamar e dormir! No convívio diário, existem mil maneiras de você ser um pai participativo e não se tornar apenas um espectador dos momentos entre mãe e bebê. Seja colocando ele para arrotar depois das mamadas, ouvir músicas juntos (não precisa ser infantil!), trocar as fraldas, conversar sobre o seu dia (ok, é um monólogo, mas está valendo!), levar para tomar banho de sol, dar banho, dormir agarradinho...

Você vai descobrir, com o passar do tempo, que, na verdade, não existe uma fórmula. O carinho, os cuidados e a convivência é que vão construindo, dia a dia, essa relação única entre pai e bebê.

Veja abaixo algumas sugestões simples, mas poderosas, que o blog da Infanti separou

Durante a gravidez

O elo entre mãe e filho começa já na gravidez. Mas você também pode participar desse momento. Acaricie a barriga da sua mulher, a criança vai sentir o toque. Conversar com ele também é importante, pois o pequeno já vai conhecendo a voz do pai.

Dedicação

Acompanhar às consultas médicas desde o pré-natal, pesquisar sobre a vida dos bebês, ler livros e blogs específicos, conversar com amigos e parentes que têm filhos: vale tudo para se inteirar sobre esta nova fase da vida e como ser um paizão. Dedicando tempo para seu filho, você naturalmente vai aprender a reconhecer as necessidades dele e se sentir mais seguro para cuidar do seu bebê.

Coloque a mão na massa

As mulheres não têm uma chave que, basta ligar, e pronto: estão prontas para cuidar de um bebê. Esqueça aquele derrotismo de acreditar que a mãe sabe mais do que você. Se ela parece ter mais jeito, foi porque aprendeu na prática mesmo. Portanto, faça o mesmo, sem medo. Troque fraldas (de xixi e de cocô!), dê banho, coloque para dormir e faça massagens para aliviar as cólicas. Mesmo que de forma desajeitada, você vai aprender. E dê muito carinho. O contato físico é fundamental para solidificar esta relação.

Participação

Você não tem licença paternidade e logo precisa retomar o trabalho, a gente sabe. Mas é fundamental dedicar parte do seu dia para ficar com a criança. Seja antes de sair de casa, quando retornar do trabalho ou nos fins de semana. Às vezes, basta dar uma voltinha pelo bairro com o seu bebê, contar uma história ou cantar. Fazê-lo rir! Vale jogar videogame com ele no colo também. Gestos aparentemente simples são poderosos para fortalecer a ligação do pai com o seu filho. Não esqueça: você e sua parceira têm maneiras diferentes de interagir com o bebê. As atividades mais físicas – que os homens tendem a preferir – não são menos importantes, aliás, são fundamentais para o desenvolvimento da criança.

Na hora da mamada

Até mesmo na hora de mamar, que é um momento muito particular entre mãe e filho, o pai pode participar. Seja levando o bebê até a mãe, colocando-o para arrotar ou, depois de satisfeito, botar o filho para tirar um soninho.

Exemplo a ser seguido

Pessoas próximas podem ser grandes espelhos neste momento. Aproveite as boas qualidades do seu pai, tios, professores, amigos e outros parentes para se inspirar e criar sua identidade paterna. Qualquer figura masculina que teve um impacto positivo na sua vida pode ser um modelo a seguir.

Conquiste seu espaço

Um pai participativo é o sonho de toda mulher? Há controvérsias... Entenda que, muitas vezes, as mães tendem a assumir todas as tarefas relativas aos cuidados com o bebê. Mas está ultrapassado o modelo que coloca o pai como coadjuvante. Já faz tempo que as mulheres trabalham fora e os homens tem mais responsabilidades compartilhadas. Portanto, conquiste seu espaço. Ela pode fazer cara feia quando você for trocar a fralda, dar banho ou colocar seu filho para dormir. Se ela te criticar, não seja rude. Aguente firme e mostre para sua parceira que está tudo sob controle, principalmente naquele dia em que ela estiver especialmente cansada.