A paternidade muda a vida de um homem. Mas você sabia que ela pode mudar o corpo também? Isso mesmo. Não apenas o psicológico masculino fica mexido, como partes do corpo do pai se transformam com a chegada de um filho.

 

Desde os últimos meses da gravidez até os primeiros meses de vida da criança, aumenta no organismo masculino a produção de ocitocina, popularmente conhecido como hormônio do amor, que é liberado, por exemplo, em situações de afeto e que ajuda a fortalecer o vínculo com o bebê.

A paternidade também traz mudanças no cérebro relacionadas ao desenvolvimento de novas conexões neurais ligadas à capacidade de cuidar e criar uma criança.

 

Veja como o corpo dos pais pode mudar com a chegada de um filho de acordo com pesquisas científicas recentes*

 

O cérebro do pai fica mais parecido com o da mãe

Cuidar do seu bebê reconfigura o cérebro do pai, que pode mostrar os mesmos padrões de engajamento cognitivo e emocional da mãe.

 

Mudanças hormonais

As alterações hormonais em mães já são mais que sabidas. Bem menos conhecidas são as que ocorrem nos pais. Estudos da Universidade de Princeton, em animais e seres humanos mostram que os novos pais experimentam um aumento dos níveis de hormônios como estrogênio, ocitocina, prolactina, que, conhecidamente, aumentam na futura mãe.

 

Sensibilidade

Uma curiosidade é que, após o parto, acontecem algumas mudanças no chamado sistema límbico, que é a parte do cérebro responsável pelas emoções. O resultado é um aumento da sensibilidade masculina. Em alguns casos, esse sentimento tão aflorado pode causar o crescimento do tecido mamário e a produção de uma substância líquida na glândula da região. Como se o homem fosse amamentar!

 

Ser pai engorda

Outra mudança significativa para os homens diz respeito a... barriga!

Um estudo da Universidade de Northwestern, EUA, chegou a esta conclusão após acompanhar mais de 10 mil homens da adolescência até a idade adulta.

O objetivo da pesquisa era avaliar como a paternidade afeta o Índice de Massa Corporal (IMC). Os homens foram divididos em três categorias: não-pai, pai residente (que mora junto com o filho) ou pai não residente. Os pesquisadores cruzaram as informações obtidas e a categoria na qual os homens estavam para fazer as relações. Um homem de 1,82 metros que mora com o filho ganhou 2 quilos após se tornar pai. O pai com a mesma altura, mas que não vive com o filho, ganhou cerca de 1,5 quilo desde o nascimento da criança.

O resultado foi um aumento médio de 2,6% no índice de massa corporal (IMC) de pais residentes e um aumento de 2% no IMC de pais não residentes. Ao contrário dos pais, os homens sem filhos perderam 650 gramas.

De acordo com o cientista que liderou a pesquisa, os pais podem passar a ter menos tempo para cuidarem de si mesmos e as chances dos hábitos alimentares mudarem também são grandes, o que aumenta os riscos de ganho de peso.

 

*Fontes: Revista Galileu / Hypescience