O calor e o sol não são as únicas coisas mais esperadas do verão! É também nessa época que começam as tão sonhadas férias escolares. Não é à toa, que a estação é uma das mais esperadas do ano. Sinônimo de férias e atividades ao ar livre, o verão, além das altas temperaturas e umidade, traz consigo algumas doenças frequentes entre os pequenos.

Mas calma, isso não é motivo para se desesperar! A maioria das doenças de verão podem ser evitadas com alguns cuidados básicos. Confira:

 

Dengue, Zika e Chikungunya:

É no verão que o mosquito Aedes Aegypti tende a circular com mais facilidade. Esse pernilongo transmite três tipos de doenças que, se não forem devidamente tratadas, podem até matar.

Para evitar que esse inseto pique seu bebê e transmita Zika, Dengue e Chikungunya, a dica é usar repelentes (veja aqui uma receitinha natural), telas nas janelas e mosquiteiros. Ah, e não deixe água parada em casa para evitar o foco da dengue!

Febre alta, dor de cabeça, nos olhos, músculos e articulações, diarreia, enjoo, manchas na pele e perda de apetite são alguns dos sintomas das três doenças. Ao observá-los no seu filho, leve-o imediatamente ao médico.

 

Desidratação:

A perda de líquidos e sais minerais do corpo é comum no verão. Afinal, o calor nos faz transpirar muito. Pele ressecada, irritação, olhos fundos e sede excessiva são alguns dos sintomas mais comuns da desidratação.

Por isso, as crianças precisam beber muito líquido e ingerir alimentos mais leves como frutas, verduras e legumes. Não deixe para dar água ao seus filhos apenas quando eles sentirem sede e não saia de casa sem uma garrafinha.

Insolação:

Praias, parques e piscinas estão entre os principais passeios de verão. No entanto, é preciso tomar muito cuidado com a exposição excessiva ao sol. Passar muito tempo sob o sol quente não é recomendado a ninguém, principalmente a crianças. Os principais sintomas da insolação são temperatura do corpo elevada, pele avermelhada, tontura, náuseas, dor de cabeça e até inconsciência.

Sabemos como é difícil dizer não aos pequenos, mas tente evitar banhos de sol entre 10h e 16h. A dica é fazer pausas entre banhos de mar e brincadeiras na areia para que eles possam ficar um tempinho debaixo da sombra do guarda-sol. Água e alimentos fresquinhos e saudáveis são também indispensáveis.

Ah, e não esqueça do filtro solar natural!Lembrando que especialistas indicam protetores apenas para bebês acima de seis meses. 

Otite:

Infecções no ouvido não são incomuns em crianças, principalmente nessa época do ano em que os pequenos passam o dia na piscina ou na praia. O contato excessivo da água com o ouvido pode causar a proliferação de fungos e bactérias. Febre, dor, secreção e cheiro ruim no ouvido estão entre os principais sintomas da Otite.

Toucas e protetores de ouvido são os melhores jeitos de evitá-la. Não esqueça de limpar muito bem o ouvido após o banho para evitar o acúmulo de água.

Micose:

Os fungos crescem com mais facilidade no calor e em locais úmidos. Por isso, a micose é ainda mais comum no verão. Ela pode ocorrer no couro cabeludo, na pele do corpo, mãos, pés e unhas causando coceira e lesões desconfortáveis.

Para evitar a doença, não deixem os pequenos com sapatos fechados por períodos longos, opte por roupas mais leves, não compartilhe toalhas, seque bem os pés, principalmente entre os dedos, não os deixem com roupas úmidas por muito tempo e fique de olho na limpeza da água da piscina.

Brotoeja:

O calor e o suor podem causar o aparecimento de brotoejas (bolhas vermelhas), principalmente no pescoço e nas dobrinhas do bebê. Essas erupções cutâneas dão coceira e ardem a pele. Para evitá-las, a dica é colocar roupas leves e dar banhos de água mais gelada. 

Diarreia:

A diarreia é comum nessa época do ano. A desidratação por infecções intestinais acontece graças a ingestão de alimentos contaminados, que foram higienizados e manipulados de maneira inadequada.

Para evitar isso, a dica é ingerir apenas produtos de origem conhecida, não deixar alimentos fora da geladeira e lavar sempre os pratos, talheres e mãos.

 

Bicho geográfico:

Popularmente conhecida como bicho do pé, essa doença é normalmente transmitida por animais domésticos através de suas fezes, que podem estar contaminada com a larva. Na praia, a dica é evitar contato direto com a areia, pois os pés são uma das principais portas de entrada para o bicho.

 

Conjuntivite bacteriana:

Olhos inflamados e vermelhos são os principais sintomas da conjuntivite. Para evitá-la, a dica é não frequentar praias e piscinas impróprias para banho. Se a água não estiver devidamente tratada, não deixe seu filho mergulhar.

 

Roséola:

Comum no verão e na primavera, a Roséola é uma doença que atinge principalmente bebês com idade entre 6 meses e 3 anos. Febre alta e manchas na pele são os principais sintomas da doença. Por ser infectocontagiosa e ainda não possuir vacina, evite o contato de seu filho com outras crianças que apresentarem os sintomas. Ao identificar os sintomas no seu filho, procure o médico. 

Com informações da Cryopraxis