Fraldas, lenços umedecidos, acessórios, roupinhas... A chegada do bebê é cercada de alegria, mas também de muitos gastos para a família! Não tem como fugir de alguns deles, mas dá para economizar bastante nas compras. Basta uma boa dose de pesquisa e planejamento. Se a sua meta é reduzir os gastos, nada de ter pudores em aproveitar peças herdadas dos filhos de amigos e parentes. Acredite: isso vai acontecer muito durante toda a vida da criança. Logo, logo vocês também vão começar a doar roupas e outros objetos conforme o bebê for crescendo. E lembre-se: é um erro achar que vocês não serão bons pais se não comprarem tudo de mais caro. Fazer economia não é vergonha nem sinal de descuido.

Uma outra boa opção de economia é pesquisar em sites especializados e páginas do Facebook. Como, por exemplo, o Bazar dos Baby’s e Mega Bazar das Mamães. Assim como elas, há outras opções de grupos abertos e fechados na rede social. Além disso, várias cidades estão se organizando e criando bazares, feiras e brechós para venda e troca de produtos pouco usados que podem ser encontrados online ou pessoalmente. A regra aqui é pesquisar!

Agora veja como economizar nos itens mais importantes para o seu bebê

Fraldas

Elas vão acompanhar a criança até uns dois, três anos, quando ela começa a desfraldar. Os chás de bebê são ótimas opções para montar um estoque considerável não apenas de fraldas, como de pomadas para assadura e lenços umedecidos. Quando ele acabar, aí é hora de começar a pesquisa de campo, assim como no caso do leite em pó. Farmácia, supermercados, internet, lojas de produtos infantis vendem este tipo de produto e os preços são os mais variados possíveis. Pacotes maiores tendem a ser mais baratos, mas calcule sempre o valor da fralda. Evite comprar fraldas com muita antecedência, pois o bebê pode não se adaptar ou crescer mais rápido e a economia acaba virando desperdício.

Equipamentos para o bebê

A mãe que pesquisa muito sabe que todos os dias surgem produtos “indispensáveis” para a criança. E, na empolgação, ela acaba levando tanta coisa que acaba nem usando. Ou usando pouco. Para economizar, então o ideal é providenciar o básico: um carrinho, um bebê conforto (ou uma cadeirinha para o carro) e um lugar para o bebê dormir (pode ser o berço, o moisés ou o próprio carrinho se for por pouco tempo). O restante é melhor comprar conforme o bebê for crescendo e a necessidade surgindo. Lembrando-se de verificar se os equipamentos atendem às normas de segurança do Inmetro.

Roupinhas

Não compre muita roupa de recém-nascido. Eles crescem muito rápido! Os pais de primeira viagem, em especial, tendem a se empolgar nas compras do enxoval. Saiba que muitas peças sequer serão usadas. Além disso, bebês costumam ganhar muitas roupinhas novas, além das que foram usadas por outros bebês. É normal. Certamente a mamãe também doará muitas peças no futuro. Então, o ideal é comprar o mínimo e, conforme a necessidade e o crescimento do bebê, ir comprando o restante. Quanto aos sapatinhos, não adquira muitos, pois o bebê quase não usa.

Brinquedos

Pense bem antes de investir num brinquedo incrível, mas supercaro para o seu filho. É claro que você quer dar o melhor, mas prepare-se porque seu pequeno pode te surpreender e se encantar mais com o papel do que com o presente em si. Isso acontece o tempo todo e pode ser um bom exemplo para refletir antes de investir muito dinheiro. Quando comprar, opte por brinquedos duráveis, de preferência, que não utilizem pilha. E crie o hábito de só presentear em ocasiões especiais. Ah, e que tal, em vez de brinquedo, comprar livros? Assim você já vai montando uma pequena biblioteca e incentivando o gosto pela leitura.

Leite em pó

Após o desmame, em alguns casos este pode ser um gasto. O leite de vaca pode ser autorizado pelo médico após certa idade. Quando precisar comprar o leite em pó, pesquise os preços em diferentes lugares e tente comprar em atacados para baratear o produto. Atualmente, o valor médio de uma lata de 800 gramas é R$ 35. Se comprar em grande quantidade, não deixe de verificar a data de validade.

Converse com os amigos e familiares experientes sobre o assunto. Eles vão ser aquela voz da consciência que às vezes fica com o volume baixo demais na hora da empolgação.

E você, tem alguma dica de como economizar?